O lançamento da sonda lunar Luna-25 foi definido para a segunda janela de lançamento. É o intervalo de tempo em que a espaçonave é lançada da Terra, levando em consideração suas características de projeto e relação potência-peso, para chegar ao seu destino de forma otimizada ao longo de uma determinada trajetória. Será em maio de 2022 a partir do cosmódromo de Vostochny, no leste da Rússia.

A transição para a segunda janela de lançamento ocorreu devido à necessidade de verificação e testes dos dispositivos, conjuntos e sistema de propulsão. Estes testes foram realizados simulando as condições mais próximas possíveis das encontradas no espaço.

Os resultados obtidos são de extrema importância para o desenvolvimento experimental da espaçonave, evidenciando a necessidade de pesquisas adicionais, inclusive levando em consideração as condições balísticas do voo à Lua. Sendo uma nave automática, equipada com sensores, atuadores e sistemas de controle, há a necessidade de realizar verificações para garantir a confiabilidade necessária da primeira missão russa à Lua no século XXI.

Perfil da trajetória da sonda Luna-25, desde o lançamento até o pouso lunar.

Desta forma, o corpo técnico da Roscosmos (Agência Espacial da Rússia) verificou o funcionamento dos equipamentos a bordo, elaborando a acoplagem elétrica dos componentes seguindo uma lógica de funcionamento e repetição operações típicas do programa de voo.

O projeto espacial Luna-25 utiliza os mais recentes avanços no campo da instrumentação espacial e utiliza como referência a experiência anterior em expedições lunares dos tempos soviéticos da Corporação Lavochkin (hoje parte da Roscosmos).

Este projeto abre o programa lunar russo de longo prazo, que incluirá missões para estudar a Lua em órbita e superfície, a coleta e retorno do solo lunar à Terra; bem como estudo para se selecionar um local para, no futuro, construir da Estação Lunar Científica Internacional (ILRS) em conjunto com a Agência Espacial da China.

A espaçonave Luna-25 é constituída de duas partes estruturais principais. A parte inferior é um dispositivo de pouso com “patas” para a pouso e suportes que garantem um contato seguro com a superfície. Nela também são fixados o sistema de propulsão, para corrigir a trajetória de voo até a Lua, realizar a desaceleração (fundamental durante a saída de órbita) e o pouso suave.

Estrutura básica da sonda Luna-25.

A parte superior é o compartimento de instrumentação. Contém painéis solares, radiador para o sistema de controle térmico, sistemas de controle, instrumentos científicos e fonte de energia. A principal tarefa desta missão é desenvolver tecnologias básicas de pouso suave na região circumpolar e conduzir estudos na superfície em alguma região do Pólo Sul lunar.

O desenvolvimento da expedição espacial Luna-25 é um passo importante na pesquisa espacial. Esta permitirá um novo passo no estudo da Lua e de uma nova perspectiva para observar o horizonte de desenvolvimento dos planetas do Sistema Solar e compreender suas origens, o aparecimento da água e, conseqüentemente, a Vida na Terra.

Fonte: Roscosmos – https://www.roscosmos.ru/32248/

Tradução: Rafael Cândido Jr.

Facebook Comments